eventos e notícias

Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora completa 140 anos Geral

O Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) completou 140 anos de existência. No dia 5 de agosto de 1872, em Mornese, na Itália, 11 jovens entregavam-se a Deus, iniciando assim o instituto que se tornaria internacional, presente em 94 nações. A primeira cerimônia teve a presença do idealizador e fundador do instituto, Dom Bosco, que já há algum tempo antes queria criar um grupo feminino que levasse às meninas o trabalho pedagógico-pastoral que ele promovia para os meninos. 

Na véspera da fundação, dia 4, Dom Bosco falou às jovens, explicando-lhes a importância e o sentido do instituto: “Vós agora pertenceis a uma família religiosa, que é toda de Nossa Senhora; sois poucas, desprovidas de meios, não amparadas pela aprovação humana. Nada vos perturbe O instituto terá um grande futuro se vos mantiverdes simples, pobres, recatadas. Pensai com frequência que o vosso instituto deverá ser o monumento vivo da gratidão de Dom Bosco à Grande Mãe de Deus, invocada sob o título de Auxílio dos Cristãos” (cf. Cronistoria I 305-306).

O Instituto das FMA tem hoje 13.653 irmãs (dados de dezembro de 2011), distribuídas em 1.436 comunidades, em 94 nações, nos cinco continentes. Ao longo dos anos persistiu a paixão pela educação das jovens através da formação integral da pessoa, da solidariedade social, com a proposta e o desenvolvimento de atividades de evangelização, formação e prevenção.

Algumas obras do instituto são as escolas (no Brasil, organizadas de forma integrada às escolas dos Salesianos de Dom Bosco na RSE), centros de formação profissional, casas-lares, obras para meninas de rua, associações para o tempo livre, voluntariado, catequese, obras de primeira evangelização, trabalho com indígenas, obras de promoção da mulher, atividades de microcrédito e microeconomia, entre outras.

Em muitas nações, o dia 5 de agosto tornou-se a data em que se pronunciam os primeiros votos temporários ou as profissões perpétuas. Neste ano, houve uma celebração especial em Mornese, onde cinco irmãs fizeram a profissão perpétua com a presença da vigária geral, Irmã Emilia Musatti, e do Reitor-mor dos salesianos, Padre Pascual Chávez.  

 

A celebração no berço do instituto

No pequeno povoado do Alto Monferrato, em Mornese, o Padre Pascual Chávez presidiu a profissão perpétua das novas salesianas irmãs da região.

“Venho a Mornese como Dom Bosco há 140 anos. Ele o fez para dar início, junto com Madre Mazzarello, ao instituto. Eu o faço para louvar a Deus que foi maravilhoso para convosco”, declarou o Reitor-mor, em mensagem enviada à Madre Geral, Yvonne Reungoat, no dia 5 de agosto.

Chegando na tarde do dia 4 de agosto, o Reitor-mor repetiu o gesto de Dom Bosco. Falando às irmãs que estavam encerrando os exercícios espirituais, recordou que a Vida Consagrada vive hoje uma forte crise, mas que ela é mais do que nunca indispensável. “Perante um mundo secularizado, a Vida Consagrada é necessária para afirmar o absoluto de Deus; perante um mundo neoliberal, a Vida Consagrada é necessária para afirmar a opção pelos mais pobres e pelos últimos da sociedade; perante um mundo em que o individualismo avança cada vez mais, a Vida Consagrada se torna profecia de fraternidade”.

Na celebração de 5 de agosto estava presente a Ir. Emilia Musatti, vigária geral, representando a Madre Reungoat, que celebrou a data na Colômbia, América do Sul. Em trecho de sua resposta ao Reitor-mor, a superiora geral das FMA comenta a visita do Reitor-mor ao “berço das FMA” e a importância da data: “Há 140 anos, o nosso fundador ia a Mornese por ocasião das primeiras profissões como FMA de onze jovens mulheres. E é magnífico que hoje o seu IX Sucessor repita a visita para dar graças a Deus. São tantas as histórias de vida nestes 140 anos. Além de cultivar a memória do passado, queremos projetar-nos ao futuro, onde nos esperam desafios e oportunidades com que nos queremos medir (...) Aqui, em Terras da América, é ainda vivo o eco das cartas de Maria Domingas Mazzarello.”

 

FMA no Brasil

Em 1892, em Guaratinguetá-SP, as salesianas irmãs fundaram sua primeira casa no Brasil, o Colégio Nossa Senhora do Carmo. Desde então, vieram dezenas de obras. Atualmente são 9 inspetorias FMA, com paróquias, oratórios, obras sociais e escolas. As escolas do instituto, em especial, integram-se com as unidades dos Salesianos de Dom Bosco na Rede Salesiana de Escolas, que tem mais de 110 colégios, 90 mil alunos e quatro mil educadores em 70 cidades do País.  Veja um documentário produzido pela RSE sobre a história do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora no Brasil: