eventos e notícias

Alunos de projeto comunicacional de Rondonópolis entrevistam Bispo Dom Juventino Kestering Geral
Entrevista tem como tema “Santidade” e aborda a Estreia 2019 do Reitor-Mor que diz: A Santidade é também para você

Sob a coordenação da Prof.ª Cristiana de Jesus Xavier, os alunos da Escola Estadual Santo Antônio, em Rondonópolis - MT, instituto de ensino dirigido pelas freiras salesianas, desenvolveram trabalhos voltados para a área de comunicação no Projeto Educarte, uma atividade oferecida pela Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso e que desenvolve atividades voltadas para a Comunicação, Arte e Música. Em meio a essas atividades, nasceu o SA News, uma espécie de Jornal Escolar comandado pelos próprios alunos, os quais entrevistaram o Bispo Dom Juventino Kestering, abordando a “Santidade”, tema da Estreia 2019, carta escrita pelo Reitor-Mor, Pe. Ángel Fernández Artime, à Família Salesiana.

 

Confira um pouco da entrevista com o Bispo Dom Juventino Kestering:

 

Jornalistas Educarte: Qual era o conceito de Santidade para os povos antes da vinda de Jesus?

 

Bispo Dom Juventino: Santidade é hoje um tema forte da igreja. Você pergunta: Como era antes de Jesus? Bem, toda pessoa, independente de credo religioso, de nação, de raça, de cultura, tem dentro de si, tanto o homem quanto a mulher, valores chamados inatos: a bondade, o amor, o respeito ao outro, a dignidade, tornar-se gente boa. Isto está dentro de nós. Então, todos os povos antes de Jesus tiveram estes valores dentro de si. É claro que o povo de Israel, povo escolhido de Deus, tinha a revelação de Deus, então construiu, a partir da bíblia, um conceito, uma prática de Santidade, mas ainda uma Santidade um pouco diferente do que Jesus nos propôs. Este povo tinha certo dualismo entre pode ou não pode, é e não é, se faz está certo, se não faz está errado, então fica esse dualismo. Com Jesus que isto foi dado uma nova leitura, a Santidade é seguimento, é abertura para o outro(a), é caridade, é justiça.

 

Jornalistas Educarte: E para os primeiros cristãos, como eles entendiam o mandamento de Jesus para ser santo, assim como Deus era?

 

Bispo Dom Juventino: Jesus Cristo veio trazer a grande novidade para nós.  Na noite de Natal os anjos cantavam: “Eis que vos anuncio uma grande notícia”. Essa notícia era Jesus, e Jesus, na sua missão, fazia com que as pessoas tivessem um crescimento na vida para os valores do evangelho, mas a maior novidade que Jesus veio trazer é o amor, não só aos que fazem o bem, mas o amor aos que não nos fazem o bem. Santidade não é só amar quem faz bem, mas Santidade é amar quem nos faz mal e ajudá-lo a se corrigir. Santidade é o perdão. Antigamente se dizia ‘olho por olho, dente por dente’. Jesus disse: ‘Amai vossos inimigos, fazei o bem’. Então, essa é a mudança, essa é a novidade de Jesus: fazer o bem, perdoar, lavar os pés, acolher o irmão. Assim Jesus foi construindo com os discípulos a novidade da Santidade, não mais como no Antigo Testamento, mas agora com o Novo Testamento, amar, perdoar, acolher, lavar os pés, viver com dignidade, a conversão, colocar valores dentro da vida.

 

Jornalistas Educarte: Sabemos que conforme novas gerações vão surgindo, a cultura muda. Nos tempos atuais, no seu ponto de vista, mudou-se a forma de viver a Santidade? O que é a Santidade hoje?

 

Bispo Dom Juventino: Santidade como Santidade permanece a mesma. Santidade é o modo de viver do cristão, da pessoa que segue Jesus Cristo, e que coloca os valores do Evangelho dentro da vida, e vive uma vida honesta, uma vida correta, uma vida segundo o Evangelho. Nos tempos atuais mudou alguma coisa? Sim. A circunstância, o ambiente, o modo de viver a Santidade, mudou e muito. Se no Antigo Testamento ou nos anos passados Santidade era viver uma vida rústica, uma vida praticamente dentro dos conventos, hoje a Santidade é para você jovem, hoje a Santidade é para todos nós. Então, em meio essa cultura nova que estamos vivendo, nesse mundo mudado, nesse mundo diferente, nesse mundo em que vocês escutam os pais dizendo que ‘no meu tempo não era assim’, porque o tempo mudou, mas o conceito de Santidade permanece. Santidade são jovens de fé, honestos, corretos, que focam nos estudos, no trabalho, na dignidade de vida, na fé, na religião, no amor a si, no amor ao outro, valores dentro da vida, respeito por si, respeito pelo outro. Esses são os valores que hoje permeiam a Santidade.

 

Jornalistas Educarte: Na Estreia 2019, há a frase “#AsantidadeÉtambémParaVocê . Como o senhor entende essa mensagem?

 

Bispo Dom Juventino: Santidade é um bem para você, é você estar alegre, feliz, ir à missa, respeitar os amigos, sorrir, escutar uma boa música, você se diverte, você reza, você tem um comportamento digno, você tem valores dentro do coração, você tem Deus dentro do seu coração e isso lhe faz ser um jovem e uma jovem santos. Santo não é apenas aquele que tem sua santidade no altar. Santos são os jovens que procuram viver a vida com honestidade, dignidade, com amor a Deus e aos irmãos, cumprir os seus deveres na escola [...] a forma como você trata as pessoas, a sua família, como você valoriza as coisas, como você valoriza a sua vida... Através desta postura de vida vai mostrando que a santidade hoje é possível viver. Muitos adolescentes, crianças, adultos vivem a Santidade de uma maneira muito bonita, vivendo no mundo, na escola, na sociedade, também numa pizzaria, vivendo uma vida bonita. Isso que é Santidade.

 

Para assistir à entrevista completa, clique aqui.

 

  

 

Sobre Bispo Dom Juventino Kestering

 

O Bispo Dom Juventino Kestering nasceu no dia 19 de maio de 1946, em Morro do Gato, hoje Morro do Cruzeiro, município de São Ludgero, Estado de Santa Catarina. Ingressou no seminário Nossa Senhora de Fátima, em Tubarão, no dia 12 de fevereiro de 1959, quando tinha 13 anos. Estudou filosofia e teologia em Curitiba/PR; foi ordenado padre pelo bispo Dom Anselmo Pietrulla, no dia 14 de julho de 1973, na igreja matriz São João, em São Ludgero e celebrou a primeira missa na capela de São Pio X, em sua terra natal. Logo assumiu a missão de vigário paroquial na catedral diocesana de Tubarão.

 

Em 19 de novembro de 1997, Pe. Juventino Kestering foi nomeado bispo diocesano de Rondonópolis pelo Papa João Paulo II e recebeu a Sagração Episcopal no dia 8 de março de 1998, na catedral de Tubarão, em Santa Catarina, assumindo como lema ‘Enviou-me para evangelizar’. Em 22 de março de 1998, Dom Juventino tomou posse como bispo diocesano de Rondonópolis. Em seu episcopado aconteceram as mudanças geográficas com anexação de mais cinco paróquias, passando a ser diocese de Rondonópolis-Guiratinga.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação - Escola Estadual Santo Antônio, Rondonópolis - MT