eventos e notícias

Ex-alunas do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora se reúnem após 55 anos Salesianidade
Ex-alunas do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora se reúnem após 55 anos

Quem lê o nome do grupo “As Poderosas dos Anos 60” em um aplicativo de mensagens não imagina que as mulheres reunidas virtualmente viveram grande parte da adolescência juntas, em um tradicional internato de freiras de Campo Grande (MS). Meio século depois, as estudantes se reencontraram e relembraram as escaladas aos pés de manga e as fugas para a feira em busca de batons da moda na época.

 

Idealizadora do encontro, Ledir Marques Pedrosa, 67 anos, explica que o desejo de reencontrar as internas do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora surgiu há pouco tempo e que foi preciso um mês para reunir todas as ex-estudantes em um grupo no WhatsApp. “Em Campo Grande, existem várias meninas e comecei a conversar com elas primeiro. Aos poucos, fomos encontrando as que moravam fora da cidade e até do País”, explica Ledir.

 

O encontro anual das ex-alunas ocorreu no colégio durante o Dia de Nossa Senhora Auxiliadora. “A primeira ex-aluna com quem eu conversei foi a Ingrid, que participou de um encontro de ex-alunas no ano passado, mas ela foi sozinha”, diz.

Por meio da movimentação no grupo, Ledir e mais 61 mulheres decidiram ir à reunião de ex-alunas da escola e reproduzir os passos que elas percorreram na infância e adolescência. “Foi incrível, porque vieram pessoas de outras cidades, como Rio Brilhante, Nioaque, Bela Vista, Dourados, Amambaí, Palmas e até da Cidade Del Leste, no Paraguai”, afirma.

 

Nanci de Jesus Albuquerque Pissini (68) é uma das viajantes. Ela veio de Amambaí, em Mato Grosso do Sul, especialmente para o encontro e confessa que foi difícil segurar a empolgação. “Foi uma surpresa ter encontrado tantas meninas. Começamos a procurar em abril e iniciamos a comunicação para o encontro. As meninas foram passando os contatos, procurando, e chegamos na Bahia, ao Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu. Conseguimos conversar e virou uma coisa esse WhatApp, tem conversa até de madrugada” ri a ex-aluna.

 

Do tempo na escola, ficaram as histórias sobre o pé de manga e serenatas de amor que sempre terminavam em um banho forçado. “A emoção foi tão grande e o assunto era apenas o passado. Foram muitas lembranças, de alguém que subiu e só havia uma manga. A aluna comeu lá em cima a fruta, enquanto a outra esperava que ela jogasse uma para ela. As serenatas que os meninos fizeram e a freira jogou um balde d’água para espantá-los. Até as fugas do colégio foram confessadas depois de 55 anos do delito”.

 

“Fugiram pelo portão da horta para comprar um batom na feira que ficava perto do colégio”, recorda-se Nanci. Tudo isso em meio a 80 participantes, inclusive com a presença das professoras da época, as freiras do colégio. “Ir. Silvia era grandona na época, andava ligeiro, chegavam a fazer barulho às vestes dela, pareciam vento. Agora está velhinha e faz um trabalho maravilhoso no Hospital São Julião”, complementa Nanci.

 

As ex-alunas foram recebidas pela Ir. Othilia Pires dos Santos e a equipe das Ex-alunas do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, que incluíram no encontro a missa do dia 24 de maio no Ginásio Poliesportivo, localizada dentro da escola. “Participamos da missa, como na nossa adolescência; ofertando flores à Nossa Senhora e foi um momento muito especial”, confessa Ledir. Das lembranças, permanece agora o desejo de continuar a amizade, retomada, para elas, na hora certa. “Já estamos combinando viagens e outros encontros”, diz Ledir.

 

Fonte: Inspetoria Imaculada Auxiliadora