eventos e notícias

Dia Mundial de Conscientização do Autismo Em destaque
Dia Mundial de Conscientização do Autismo no Colégio Salesiano Recife

Para conscientizar os alunos sobre a temática, o Ensino Fundamental I do Colégio Salesiano Recife realizou um Bom Dia repleto de homenagens. O momento aconteceu na manhã de hoje (2) e objetivou destacar a importância da inclusão do autista na escola.  

 

Aproveitando para tirar dúvidas sobre o transtorno, o momento contou com a participação de alguns pais que possuem filhos com autismo. Adriana, mãe dos alunos Nicolas e Lucas Alencar; e Roberto, pai de Heitor, falaram um pouco sobre o tema para todos os presentes, mostrando que aceitar as diferenças é respeitar o próximo.

 

Todas as crianças, adolescentes e jovens com autismo tem características específicas, pois há uma diversidade significativa dos comportamentos apresentados em quem possui o transtorno. Existem pessoas com comprometimentos sociais, mas sem problemas comportamentais; há casos de disfunções comportamentais sem atraso de linguagem, e muitas outras especificidades. Por isso se fala na diversidade do autismo, pois cada sujeito é único na maneira de se relacionar com o outro e construir suas aprendizagens.

 

Em colaboração com o trabalho da equipe de coordenação e professores, acontece a atuação do Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAP). São realizados atendimentos individualizados a estes alunos, acompanhamento em sala de aula, apoio pedagógico aos professores, bem como estabelecida parceria com pais e responsáveis dos estudantes para que juntos possam refletir e construir estratégias que auxiliem no processo de inclusão escolar.

 

  

 

Sobre o dia mundial de conscientização do Autismo

 

A data, estabelecida em 2007, tem por objetivo difundir informações para a população sobre o autismo e assim reduzir a discriminação e o preconceito que cercam as pessoas afetadas por esta síndrome neuropsiquiátrica. Os transtornos do espectro autista (TEA), como o próprio nome sinaliza, englobam uma série de diferentes apresentações do quadro, que têm em comum:

 

• Maior ou menor limitação na comunicação, seja linguagem verbal e/ ou não verbal; 


• Na interação social; 


• Comportamentos caracteristicamente estereotipados, repetitivos e com gama restrita de interesses.

 

Neste espectro o grau de gravidade varia desde pessoas que apresentam um quadro leve e com total independência e discretas dificuldades de adaptação (por exemplo, autistas de alto funcionamento, síndrome de Asperger) até aquelas que serão dependentes para as atividades de vida diárias (AVDs), ao longo de toda a vida. 

 

O autismo aparece nos primeiros anos de vida. Apesar de não ter cura, terapias e medicamentos e é claro, muito amor podem proporcionar qualidade de vida para os pacientes e suas famílias. O autista olha pouco para as pessoas, não reconhece nome e tem dificuldade de comunicação e interação com a sociedade.

 

Após o diagnóstico, os pacientes devem fazer uma série de tratamentos e habilitação/reabilitação para estimulação das consequências que o autismo implica, como dificuldade no desenvolvimento da linguagem, interações sociais e capacidades funcionais. Essas características demandam cuidados específicos e singulares de acompanhamento ao longo das diferentes fases da vida.

 

Fonte: Assessoria de comunicação - Colégio Salesiano Recife / com informações do Blog da Saúde – Ministério da Saúde